Sul da Chapada 3: Pico das Almas.

Continuando a nossa jornada ao Sul da Chapada passamos por cidades históricas e não poderíamos deixar de passar em Rio de Contas, considerada uma das primeiras cidades planejadas do Brasil e possui mais de 400 casarões tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional tornando a cidade um verdadeiro paraíso sem falar da calmaria do seu povo, ao andar pelas ruas da cidade, você terá a impressão de estar fazendo uma volta ao passado como mostra as imagens a baixo.
IGREJA DE NOSSA SENHORA SANTANA
Construída no séc. XIX, porém não foi terminada e é um marco do declínio da extração do ouro.

O Fórum da cidade, que no passado era a antiga casa de câmara e cadeia.
Era uma das mais temidas prisões baianas na época da escravidão.
Passeando mais pela cidade encontramos  pousadas para todos os gostos e bolsos. No meu caso fiquei na Pousada Flamboyant, por R$ 30/pessoa com café da manhã. Quarto com chuveiro e TV. Café da manhã razoável. A Irlene (dona da pousada) é muito simpática. O café sai a partir das 7 hrs, mas se avisar ela acorda até 4:30 da manhã. Aproveitei a prosa da dona Irlene fiquei sabendo mais sobre as histórias da cidade e procurei mais informações sobre a trilha, muito preocupada sempre me alertava para contratar um guia local, foi aí que conheci o seu marido e contratei-o para me levar até o povoado de Brumadinho que é uns 17km de estrada de barro e me custou mais R$ 30/pessoa.

Povoado de Brumadinho
e ao lado esquerdo início da trilha

Chegando no povoado de Brumadinho seguimos até passar a última casa a esquerda, pouco depois, uma trilha a direita onde encontrei um riacho onde há um calçamento de pedra para facilitar a travessia de carros. 


Rio Brumado, hora de encher o cantil !
Logo de início nos deparamos com essa visão incrível do Rio Brumado.


Continuamos e já sabíamos que iriamos ter um dia cansativo mas o belo Campo do Queiroz iria compensar
todo nosso esforço.  Seguindo direto pela estrada
até o final. É só subida. No
fim você encontramos uma porteira. Cinqüenta metros
antes, à esquerda, começa a
trilha para o Pico das Almas
.
Uma paradinha para um lanche.
Parte do início da trilha
Depois de umas 2hrs de caminhada encontramos esse alagado de águas paradas, pensamos até em encher o cantil mas percebemos que não estava segura para consumo mesmo na utilização do Clorin.


Esse era um outro rio de água cristalina e a profundidade era de no mínimo duas vezes o meu tamanho mas com a seca, ele secou e ficou isso aí.

Como já estávamos com pouquíssima água e não sabíamos onde iriamos encontrar mas água o jeito foi encher o cantil e rezar para encontrar outro rio, que por fim encontramos.






Por fim chegamos ao Campo do Queiroz que é um lugar de paisagem surreal; os campos floridos delimitados por formações rochosas verticais, de até 15m de altura (bons boulders!), capões de cerradão e totalmente cercado por montanhas forma um cenário maravilhoso, propiciando centenas de fotografias. Além disso é um excelente lugar para acampar pois é seco, de solo arenoso com capim baixo e protegido pelas rochas do vento frio da noite. O melhor lugar para o acampamento fica junto a trilha, abrigado pelas rochas, com lugar seguro para uma fogueira e a 15min de caminhada do riacho.

De funo o cume do Pico das Almas

Camping no Campo de Queiroz
Inicio do segundo dia, parte da trilha e a neplina do amanhecer.

Aplicando algumas técnicas de Bushcraft.
O dia amanheceu e logo começa o verdadeiro desafio, que é quando a subida vira ladeira e a trilha "zig zagueia" entre incríveis formações rochosas, com plantas típicas do cerrado lado a lado com cactos só vistos na caatinga. A presença de veios de quartzo explica a facilidade de se encontrar cristais no cascalho da trilha. A primeira parada para descanso é a formação rochosa chamada Portal das Almas, clássico local para uma fotografia. De lá se pode ver, para leste, um anfiteatro coberto por veredas que marca a nascente do Rio de Contas, que após um longo caminho desaguá em Itacaré, no litoral sul baiano.
Portal das Almas - Pedra do Arco



Sempre Vivas
À medida que se ganha altitude o Campo do Queiroz vai ficando pequeno e uma deslumbrante paisagem se mostra por detrás da Serra das Almas, onde as planícies de Livramento do Brumado se extendem do sopé da serra até o Rio São Francisco. Após 1h de subida se chega a um platô de capim alto, com grandes blocos, que marca o início do ataque final ao cume, se que assemelha a uma pirâmide constituída por rochas de metaconglomerados.

O trecho final é bastante íngreme e a rocha muito abrasiva, quase uma escalaminhada, devendo-se tomar cuidado com pedras soltas e para não sair da tênue trilha. Mais meia hora e enfim se chega ao cume, a vista é incrível

Pico das Almas



Cume do Pico das Almas 1.954m de altitude.


Cume do Pico.
É possível acampar no cume, mas a precariedade do lugar e a distância da água desestimula esta idéia. Além disso o Campo do Queiroz é perfeito para acampar e já dispõe de algumas clareiras prontas. Esta que aparece na fotografia é sensacional, contando inclusive com um local seguro para uma fogueira junto às rochas.


Minhas tralhas e de fundo o Pico das Almas.
Foi uma aventura realmente incrível esses cinco dias no Sul da Chapada, passamos por lugares de belezas natureis incríveis e que vai deixar saudades. Na ida para o Pico ficamos três dias e duas noites, pouco, para explorar esse lugar inóspito e surreal.

Para quem vai visitar recomendo, caso não tenho noção de trilha, contratar um guia local e não esqueçam a hospedagem é na Pousada Flamboyant.