Cachoeira da Fumacinha - Ibicoara

Bom, para começar falando dessas duas belezas escondidas na chapada eu não poderia deixar de falar da dificuldade para contratar guia com interesse de pernoite da região de Ibicoara, que é a cidade mais próxima, acho que é por esse motivo ao qual vem perdendo espaço para as agências de Lençóis, que é a cidade com mais busca quando se fala da Chapada Diamantina, mesmo com a distancias de 200km de uma para a outra. Fazendo uma pequena busca pelo Google encontrei alguns blog's com pouquíssimas informações, separei alguns números e logo de cara a dificuldade em finalizar uma chamada e foi aí que procurei sobre a ACVIB (Associação de Condutores de Visitantes de Ibicoara), pra mim associações representa todos os guias da região mas ao ligar só me forneceram um número de contato, que eu já tinha ligado e passado um e-mail ao qual só tive resposta um dia antes da minha viagem, informando que o número de contato estava inativo e outros com algumas insistências informaram que não tinha carro, para levar até o ponto inicial da trilha e que custaria uns $300 reais para levar e trazer (as duas cachoeiras).
Com todo esse pega-paca-pá, fuçando as redes sociais encontrei alguns guias ao qual o contato foi mais fácil, dois dos guias, que não irei citar nome para não comprometer o trabalho, escolhi um que me surpreendeu bastante.

Com tudo certinho e malas prontas saímos da capital que fica a uns 600km de ônibus às 20hrs e chegamos à cidade às 5:30hrs do dia seguinte, sem ao menos um passeio no centro da pequena cidade partimos para agência. do guia Roney, tomamos um café reforçado numa lanchonete em frente e já pegamos estrada para as cachoeiras.



Centro de Ibicoara/BA



Com alguns minutos de estrada conhecemos o famoso Mirante do Campo Redondo, com uns 5min de caminhada e muita coragem podemos registrar esse momento único. 
Mirante do Campo Redondo - Ibicoara/BA
 De volta a estrada mas uns 45min chegamos ao ponto inicial da trilha da Fumacinha onde pernoitamos duas noites em pontos diferentes.
O quarteto no início da trilha da Fumacinha. Almeida JAS, Rodrigo Alvez, Ricc Silva e Ramon Drummond.



Em umas duas horas e meia de caminhada chegamos a um poço maravilhoso para refrescar um pouco depois de muito sol e muito pula pedra...



Primeira parada para banho.
Uma linda sp de Sempre Viva.

Esse foi o segundo poço, passando pela Pedra Lascada ( Lado Direito).


Uma outra visão do Poço da Pedra Lascada.
  Hoje de prosseguir, seguimos em frente voltando a pular pedras dentre o canyon. Não tem como não ficar deslumbrado com tantas formações lindas, é de tirar o folego

 Já entardecendo e com pouca iluminação mesmo ainda sendo umas 4:30 da tarde entre o canyon chegamos a cachoeira do encontro, onde montamos o primeiro Camping.
Não foi uma melhor opção por não ter local de barro, era só pedra e a minha barraca não tem sustentação própria acabei tendo que apelar pela criatividade.
Cachoeira do Encontro
Uma delicia de lugar para banho
Esse foi o melhor modo que encontrei para fixar a barraca, deixou falhas e passei um perrengue com frio mas foi tranquilo.

Formação do nosso primeiro acampamento.

 No dia seguinte, logo após o café da manhã partimos mais uma vez até a fumacinha, agora mais próximo chegaríamos antes das 10hrs.

Esse foi um registro muito engraçado, no Poço da Cachorra o nosso amigo Ramon encontrou uma aranha e resolveu fotografa-la mas infelizmente a foto da foto ficou melhor do que a foto da aranha (risos).
Não muito distante do Poço da Cachorra já conseguimos ver o final do canyon e ouvir o barulho maravilhoso da Fumacinha.
Depois de algumas horas pulando pedra ainda tivemos que fazer uma pequena escalada até chegar o ponto mais confortável para presenciar e tomar um banho na Cachoeira da Fumacinha.


Canyon da Fumacinha de dentro para fora
Depois de desfrutarmos dessa cachoeira enigmática, maravilhosa perfeita para banho voltamos todo o roteiro até chegar ao Lagão, onde montamos o nosso segundo acampamento para no dia seguinte colocar o pé na estrada até a Cachoeira do Buracão.

Acampamento no Lagão.
Guia: Roney Ecoturismo